terça-feira, 27 de maio de 2008

Sócrates = Salazar????

Deixo um poema para reflexão... se encontrarem alguma semelhança com a realidade agradeço os vossos comentários.


António de Oliveira Salazar

Três nomes em sequência regular…

António é António.

Oliveira é uma árvore.

Salazar é só apelido.

Até aí está bem.

O que não faz sentido

É o sentido que tudo isto tem.


Este senhor Salazar

É feito de sal e azar.

Se um dia chove,

A água dissolve o sal,

E sob o céu

Fica só azar, é natural.

Oh, c’os diabos!

Parece que já choveu…


Coitadinho

Do tiraninho!

Não bebe vinho.

Nem sequer sozinho…

Bebe a verdade

E a liberdade.

E com tal agrado

Que já começam

A escassear no mercado.

Coitadinho

Do tiraninho!

O meu vizinho

Está na Guiné

E o meu padrinho

No Limoeiro

Aqui ao pé.

Mas ninguém sabe porquê.

Mas enfim é

Certo e certeiro

Que isto consola

E nos dá fé:

Que o coitadinho

Do tiraninho

Não bebe vinho,

Nem até

Café

Fernando Pessoa

10 comentários:

A Grafonola disse...

pode já não dar para o café, mas dá para a passa à frente do povo em local por ele proibido...

Matchbox31 disse...

Está demais! LLLLLLLLLLLOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLL!!!!!!!!

Matchbox31 disse...

Mas, no fundo, sócrates e salazar têm uma diferença: o salazar não era mentiroso!

A Grafonola disse...

Ok, concordo que o sócrates ánda numa de tiranozinho...mas, agora a sério...não podemos comparar um a outro, são regimes completamente diferentes. Estar a mete-los no mesmo saco é desrespeitar quem lutou para derrubar o ditador. A diferença entre um e outro é que hoje podemos estar a dizer estas coisas num blog. Se fosse com o salazar, nem blogues havia...

O estado do Estado disse...

e hoje em dia há blogs, há crítica, não há censura... mas... isso serve de quê? Temos liberdade para nos exprimirmos mas essa nossa liberdade muda o que?
Já dizia um grande pensador francês: Ditadura é dizer: CALA-TE!; democracia é dizer: BEM PODES FALAR!

A Grafonola disse...

é fácil dizermos "liberdade para que" quando nunca tivemos falta dela, ;-). é por isso que acho que não se pode comparar sócrates com salazar assim tão linearmente.

O estado do Estado disse...

eu só acho ke não temos liberdade... vivemos numa pseudo-liberdade, mergulhados numa ilusão de que controlamos a nossa vida e a vida do nosso país só porque podemos dizer o que queremos...

A Grafonola disse...

Diz isso a algum dos pais, ou a alaguém que tenha vivido na repressão de salazar, e logo vês a resposta hehehehe.

O estado do Estado disse...

já disse...

Teté disse...

Bem, o Sócrates bem gostaria de ser outro tirano, mas comparativamente fica-se só pelo tiranozinho: até porque se quer continuar a governar, tem de ganhar as eleições e para isso tem de tentar não tomar medidas (muito) impopulares.

Ora sabe-se que o Salazar não mentia - até porque ele acreditava piamente naquilo que dizia - mas alguém que ousasse aventar ideias contrárias, pois prendia-se, torturava-se, exilava-se e, em alguns casos, matava-se. Convenhamos que a popularidade do homem não ganhava nada com isso. E Sócrates, infelizmente para ele (mas felizmente para todos nós), não se pode dar ao luxo de seguir esses métodos salazarentos...

Portanto são essas as principais diferenças entre eles. Claro que aí o Sócrates tem de mentir a toda a hora, para compensar as medidas que toma e que tanto prejudicam o povo, mascarando-as com várias e diversas fantasias, em que umas pegam, outras nem por isso...

O poema é muito bom e confesso que não conhecia!